Um blog criado a 4 mãos, uma parceria entre irmãs, para comentarmos sobre os livros que lemos, e compartilhar opções de boa leitura.
Escolha um livro, pegue uma xícara de café e venham me desfolhar, sintam-se à vontade.

domingo, 22 de julho de 2012

A fuga de Freud

Título: A fuga de Freud
Autor: David cohen
Editora: Record
Gênero: Biografía / História
Páginas: 320
Ano: 2010












O livro aborda a vida de Freud em Viena, e sua fuga para Londres devido à invasão nazista.
Do 2° ao 4° capítulo o autor aborda a vida pessoal de Freud, sua família e amigos, fala da infância de Freud, dos pais, irmãos, do seu casamento e das cartas trocadas entre ambos. "A bibliotéca do congresso abriga 153 caixas de correspondências entre Freud e membros da família, amigos e pacientes, mas nem todo material pode ser lido. Vinte caixas só poderão ser abertas em 2020, 2050 ou 2057, oito estão fechadas em caráter perpétuo" O livro se torna meio chato e cansativo nas partes em que o autor dá muita enfase às cartas trocadas entre Freud e o sobrinho e só passa a ficar interessante à partir do capitulo 5.
    Após a tomada da Áustria, representantes nazistas passaram a tomar conta de bens e negócios de propriedade de judeus, os chamados Kommissar, apoderavam-se de bens, dinheiro e objetos de valor das familias judias pelo qual eram responsáveis, porém, no caso de Freud esse mesmo Kommissar foi figura essencial para que ele conseguisse deixar o país. Anton Sauerwald escondeu da Gestapo documentos que comprovavam contas bancarias de Freud no exterior e dívidas empresariais, ajudou a família à conseguir vistos para deixar o país,
conseguiu enviar para Freud, em Londres, seus objetos pessoais como obras de arte e antiguidades, ajudou à esconder livros de Freud na biblioteca nacional austríaca, livros que havia recebido ordem para destruir, pois as obras eram consideradas "lixo judeu" pelos nazistas. Mais tarde a filha de Freud teria dito que a segurança e a liberdade da familia foi garantida por Sauerwald e sem ele não teriam conseguido fugir, graças à ela ele foi absolvido no julgamento por crimes de guerra.
    O autor tb relata as últimas obras de Freud "Moises e o monoteísmo" e "Esboço de psicanálise" e fala da situação da psicanálise na Áustria e Alemanha no pós guerra.

"Não sinto qualquer necessidade de elogiar os homens famosos que conheci, quase todos são decepcionantes, tediosos, ou as duas coisas. Freud não era nenhuma delas, não tinha uma aura de fama, mas de grandeza. Ele me deu uma sensação que me foi dada por muito poucas pessoas que conheci, uma sensação de grande delicadeza, mas, por trás de gde delicadeza, uma grande força. Freud era extraordinariamente cortês. Ao contrário de muitos gênios, um homem extraordinariamente afável"
(Leonard Woof - Publicava traduções inglesas das obras de Freud desde 1924)


6 comentários:

  1. Olá passei aqui para retribuir o carinho!! curta minha pagina!1 estarei te aguardando!!
    Muito interessante seu espaço . Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mto obrigada, pela visita, fico feliz por ter gostado ;)

      Excluir
  2. oi,
    otimo post!
    adorei seu blog,
    estou te seguindo, segue o meu tambem
    http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! ;)
      Estou te seguindo no perfil da minhoca!
      Bjss

      Excluir
  3. oii!
    O livro parece ser bem interessante ,estou seguindo !
    Beijinhos :)
    http://maniareading.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gostei e recomendo!! ;)
      Obrigada pela visita! Bjss

      Excluir